No plano nacional, a FEVICCOM e o Sindicato Vidreiro continuam a defender a concretização de políticas
que invistam no aparelho produtivo para aumentar a produção nacional, que promova o emprego com
direitos, que valorize os salários e rendimentos do trabalho para melhorar as condições de vida enquanto
factores de estímulo e dinamização do desenvolvimento económico.


Aumento dos salários
O aumento dos salários é determinante para assegurar mais crescimento económico e para
promover uma justa distribuição da riqueza.

  • A FEVICCOM e o Sindicato Vidreiro, reivindicam:
    O aumento dos salários em 2018, em pelo menos, 4% e um acréscimo salarial não inferior a
    40€/mês, enquanto elemento estruturante da economia e a criação de emprego com
    direitos.

Combate à precariedade
A precariedade é um dos factores que mais pesa na má qualidade do emprego.
A precariedade do emprego, para além da incidência directa na vida (precária) dos trabalhadores,
tem implicações: nos salários (os trabalhadores com vínculos precários auferem salários 30 a 40%
mais baixos que os trabalhadores com vínculos efectivos); nas qualificações e no acesso à formação
profissional; nas contribuições para a Segurança Social; na liberdade sindical; no exercício dos
direitos dos trabalhadores; no risco de desemprego e no seu custo; no valor das reformas.
Este é um problema que afecta o presente e o futuro dos trabalhadores, das famílias e da
sociedade.


Efectividade do direito de contratação colectiva

  • A FEVICCOM e o Sindicato Vidreiro, em representação dos trabalhadores e defesa dos seus
    interesses, reivindicam:
    A passagem a efectivos de todos os trabalhadores com vínculo precário que ocupam
    postos de trabalho permanentes;
    Emprego estável, seguro e com direito, que garanta a conciliação da actividade
    profissional com a vida familiar e pessoal.

O direito fundamental de contratação colectiva é atribuído pela Constituição aos sindicatos.
A regressão neste direito conduziu ao aumento de trabalhadores cujas convenções não são
anualmente revistas.


Regular e reduzir os horários de trabalho
Os horários de trabalho estão hoje mais desregulados. Um elevado número de trabalhadores queixase
da intensificação dos ritmos de trabalho e de pressão (stress) no trabalho.

  • A FEVICCOM e o Sindicato Vidreiro, em representação dos trabalhadores e defesa dos seus
    interesses, reivindicam:
    A negociação efectiva da presente proposta reivindicativa que reflecte os justos anseios
    dos trabalhadores.
    O aumento dos salários em 2018, em pelo menos, 4% e um acréscimo salarial não inferior
    a 40€/mês.
    A redução progressiva do tempo de trabalho, tendo como objectivo a semana de 35 horas
    sem perda de retribuição ou de outros direitos.
    A consagração de 25 dias úteis de férias para todos os trabalhadores.

melhores_salarios_2018.pdf

This website is protected by DMC Firewall!